Agência Brasileira de

Abin

Operação Sinop | 2011

 

ORIGEM


Órgãos participantes da operação no MT

No período de janeiro a abril de 2011, o Mato Grosso registrou situação de crise ambiental, com 494,6 km2 de área desmatada. Apenas no mês de abril, haviam sido desmatados 405 km2, equivalente a mais de 60% do desmatamento total no estado no ano anterior.

Grandes polígonos de desmate foram detectados INPE, com áreas superiores a mil hectares, em regiões madeireiras próximas a municípios com agricultura comercial implantada.

O desmatamento nessas áreas vinha sendo realizado por intermédio da técnica conhecida como “correntão”, que consiste na derrubada da floresta com o uso de uma corrente com as extremidades presas a dois tratores que se deslocam simultaneamente.

Essa técnica apresenta alto índice de degradação e é utilizada para abrir rapidamente grandes áreas de mata nativa visando ao plantio de culturas no mesmo ano agrícola.

A situação excepcional levou à criação de Gabinete de Crise, com a missão de ampliar a presença do Estado brasileiro na região e coordenar a ação de órgãos federais e estaduais no combate ao desmatamento. Participaram da operação Ibama/MME, Exército Brasileiro, ABIN, Departamento de Polícia Federal, Departamento de Polícia Rodoviária Federal, Força Nacional de Segurança Pública e órgãos estaduais.

 

Desmatadores de Mato Grosso utilizavam técnica do “correntão”

 

 

ATUAÇÃO DA ABIN


A ABIN coordenou o trabalho integrado de análise e sistematização de dados e conhecimentos oriundos de instituições federais integrantes do Sistema Brasileiro de Inteligência (SISBIN), que participaram do Gabinete de Crise. Equipes operacionais da Agência atuaram na busca de dados em campo.

 

 

RESULTADOS


Na Operação Sinop, o Ibama vistoriou mais de uma centena dos polígonos com indícios de desmatamento assinalados INPE e embargou cerca de 50 propriedades, somando mais de 20 mil hectares. A operação resultou em prisões de envolvidos em desmatamento ilegal, 89 autos de infração e mais de R$ 72 milhões em multas, além da apreensão de madeira, armas de fogo e cabeças de gado em áreas ilegais.

O resultado mais duradouro da operação consiste na presença mais efetiva do Estado na região. A operação alcançou repercussão positiva na população local por diminuir os índices de desmatamento no Mato Grosso e também reduzir o número de casos de crimes comuns.

 

 

 

 

facebookgoogle_plusmail