Agência Brasileira de

Abin

Operação Hileia Pátria | 2013

 

ORIGEM DA OPERAÇÃO


Operação teve atuação integrada

No ano de 2012, dados divulgados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) indicaram aceleração no surgimento de focos de desmatamento na Amazônia Legal, sobretudo nos estados de Mato Grosso, Pará, Rondônia e áreas específicas no Maranhão.

Para conter o avanço dos focos de desmatamento, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais (Ibama), apoiado pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) e o Exército Brasileiro (EB), deflagrou a Operação Soberania, visando a coibir o desmatamento ilegal especialmente em áreas do Mato Grosso, Rondônia e Pará.

Identificou-se que a maior parte da extração ilegal de madeira ocorria em propriedades particulares, mas foram também detectados pontos de desmatamento ilegal em Unidades de Conservação (UCs), Terras Indígenas (TIs), Projetos de Assentamentos (PAs) e Zonas de Amortecimento (ZA).

Com a identificação de pontos críticos de desmatamento em áreas protegidas federais, o Ibama planejou a Operação Hiléia Pátria, executada ao longo de 2013. A Operação empregou ações de inteligência e repressivas a fim de otimizar o combate ao ilícito ambiental nas áreas federais prioritárias da Amazônia Legal.

 

Objetivo da operação foi conter o desmatamento da Amazônia Legal

 

 

ATUAÇÃO DA ABIN


A ABIN coordenou o trabalho integrado de análise, sistematização e difusão de dados e conhecimentos produzidos pelas suas equipes operacionais ou por instituições federais integrantes do Sistema Brasileiro de Inteligência (Sisbin).

Equipes operacionais da ABIN contribuíram para as ações de fiscalização antecipatórias, que otimizaram os resultados da atuação repressiva de combate ao desmatamento ilegal na área coberta pela operação.

 

 

RESULTADOS


A operação identificou responsáveis por diversos crimes ambientais e possibilitou a lavratura de cerca de 413 autos de infração. Aproximadamente 50 mil hectares foram embargados pelo Ibama. O valor total em multas aplicadas ultrapassou R$ 260 milhões.

A OHP gerou, ainda, informações relevantes para o desenvolvimento da Operação Castanheira, realizada pelo Ibama e pelo Departamento de Polícia Federal (DPF), que desarticulou organizações criminosas responsáveis por parte do desmatamento na Amazônia Legal. Os grupos criminosos eram responsáveis por invasões de terras públicas, furto, crimes ambientais, falsificação de documentos, formação de quadrilha, sonegação fiscal e lavagem de dinheiro.

 

 

 

 

facebookgoogle_plusmail