Agência Brasileira de

Abin

Segurança das Fronteiras

 

Brasil é vizinho de dez dos 12 outros países sul-americanos

Brasil faz fronteira com dez dos 12 países sul-americanos

A faixa de fronteira, que compreende toda a área a até 150 km dos limites do território, representa importante diretriz de desenvolvimento socioeconômico nacional e tem caráter estratégico para a integração da região sul-americana.

As fronteiras terrestres representam mais de dois terços de toda a extensão dos limites territoriais do Brasil. As fronteiras secas somam 15.719 km e colocam o país em contato geográfico com dez das 12 demais nações sul-americanas.

A ABIN desenvolve ações de Inteligência com foco na análise das dinâmicas sociais e das atividades ilícitas que ameaçam a segurança das fronteiras do país. Produz conhecimentos de inteligência sobre aspectos da realidade regional que influenciam diretamente na segurança das áreas fronteiriças, como as dinâmicas migratória e social e a ocorrência de atividades criminosas.

O narcotráfico, o contrabando, os ilícitos ambientais e o tráfico de pessoas são algumas das principais atividades criminosas identificadas e acompanhadas pela Inteligência nas áreas de fronteira brasileiras.

 

 

ATUAÇÃO DA ABIN


 

 

OPERAÇÃO ÁGATA


A participação na Operação Ágata é uma das principais ações desenvolvidas pela ABIN na segurança das fronteiras.

Realizada periodicamente desde 2011, a Ágata é a maior operação interagências do Brasil. Abrange a atuação de órgãos militares e civis, subordinados ao Governo Federal e aos governos estaduais. Tem por finalidade o combate aos ilícitos na faixa de fronteira do país e o fortalecimento da presença do Estado brasileiro ao longo dessa área.

 

A ABIN atuou na fase de preparação das onze operações.

 

A ABIN coordena a atuação da Inteligência da operação. Em cada edição, a Agência produz conhecimentos de Inteligência específicos, resultantes da análise de informações recebidas dos órgãos integrantes do SISBIN ou obtidas pela atuação de seus próprios servidores da área operacional.

Para otimizar a coordenação das ações de Inteligência, a ABIN instala Centros de Inteligência Regionais (CIR) em todos os estados abrangidos pela operação. Os centros de inteligência entram em funcionamento antes do início da fase repressiva para a produção antecipada de informações estratégicas à operação. Os relatórios antecipam obstáculos à atuação das forças de segurança e auxiliam o planejamento das missões da fase repressiva.

 

 

facebookgoogle_plusmail