Agência Brasileira de

Abin

Tecnologia

 

A ABIN conta em sua estrutura com uma área de tecnologia que desenvolve programas e ferramentas que garantem a transmissão segura de informações do Governo Federal. É no Centro de Pesquisa e Desenvolvimento para a Segurança das Comunicações (Cepesc) da Agência que é criada a criptografia que viabiliza o sigilo das comunicações governamentais e, até mesmo, a segurança do voto nas urnas eletrônicas. A Agência Brasileira de Inteligência defende o uso da criptografia de Estado – produzida dentro do país por órgãos governamentais – como a única forma de garantir a segurança das comunicações do país.

 

 

ABIN: PRINCIPAIS TECNOLOGIAS DISPONIBILIZADAS AO GOVERNO FEDERAL


A Agência desenvolve softwares para vários tipos de demandas do Governo Federal e da própria área de inteligência. O grande diferencial está no fato de os programas contarem com criptografia de Estado, garantindo a segurança das informações através de algoritmos que impedem a decifração dos dados transmitidos. São os principais exemplos:

 

                    

                    

 

 

 

 

 

 

O CEPESC


O Centro de Pesquisas e Desenvolvimento para a Segurança das Comunicações foi criado em 19 de maio de 1982 para sanar a deficiência do Brasil em garantir o sigilo de suas transmissões oficiais.

Até então, o país importava recursos criptográficos do exterior para proteger suas comunicações diplomáticas, comerciais e militares. Os órgãos brasileiros não possuíam capacitação sequer para avaliar a qualidade dos meios que compravam. A situação configurava uma grave vulnerabilidade, pois a criptografia estrangeira era uma espécie de “caixa preta” – não era possível afirmar que a nação produtora não teria acesso aos conteúdos transmitidos.

 

 

Em 1975, por solicitação da Presidência da República, o Ministério das Relações Exteriores (MRE) e o então Serviço Nacional de Informações (SNI) iniciaram pesquisas na área da criptografia. O trabalho deu origem ao CEPESC sete anos depois, com o Brasil ganhando uma unidade de pesquisa científica e tecnológica aplicada à segurança das comunicações.

 

Vista aérea do complexo do Cepesc

Vista aérea do complexo do Cepesc

 

 

POLÍTICA DE ATUAÇÃO


O Centro integra a estrutura da Abin e também tem, entre suas responsabilidades, assessorar os dirigentes do Estado brasileiro nas políticas e relativas à segurança das informações e comunicações principalmente no que diz respeito ao desenvolvimento e emprego de algoritmos de Estado. O Centro mantém uma política de desenvolvimento de novas soluções para seguir a velocidade de evolução tecnológica acompanhando o estado da arte mundial nas áreas da criptologia e segurança da informação e comunicações. A força de trabalho do CEPESC é constituída por servidores com alto grau de especialização em suas áreas de atuação.

 

 

HISTÓRIA (LINHA DE EQUIPAMENTOS ANTIGOS)


O CEPESC desenvolveu e produziu uma extensa linha de equipamentos e sistemas de segurança de dados e de comunicações em apoio a órgãos e entidades integrantes da Administração Pública Federal.

A lista inclui equipamentos criptográficos para telex, autenticador de assinaturas, criptógrafos para dados e misturadores de voz para rádio e para telefonia. A utilização de várias destas ferramentas foi interrompida em virtude do processo natural de descontinuidade de uso de algumas dessas  tecnologias de comunicações, por exemplo o telex.

No período de 1978 a 1985, o CEPESC desenvolveu e implementou diferentes tipos de equipamentos criptográficos para garantir o sigilo de textos, dados e voz, em apoio a seus clientes prioritários.

Como exemplo seguem alguns dos equipamentos produzidos no período (esses produtos estão hoje em desuso e constituem parte do acervo do museu do CEPESC):

 

 

 

facebookgoogle_plusmail