Agência Brasileira de

Abin
Intelligence Activity
Publicado em: 27/02/2019 às 15:55hs. || Atualizado em: 05/04/2019 às 17:55hs.

ABIN e ministros debatem integração em evento do CNJ

Diretor-geral da ABIN e os ministros Sérgio Moro (Justiça) e Alexandre de Moraes (STF) discutiram integração em segurança pública

 

 

O diretor-geral, Janér Tesh Alvarenga, participou junto a representantes dos Poderes Executivo e Judiciário, na última segunda-feira – 25 de fevereiro –, de evento do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para traçar propostas de criação e aprimoramento de políticas relacionadas à segurança pública.

Janér integrou a mesa do seminário “Políticas Judiciárias e Segurança Pública” ao lado do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, e do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes.

O seminário debateu a cooperação entre órgãos da Administração Pública. A direção da Agência integrou painel de abertura intitulado “Cooperação Institucional e Atividade de Inteligência”. Além de Moro e Moraes, o delegado Youssef Abou Chain também participou.

 

ABIN integrou mesa do seminário Políticas Judiciárias e Segurança Pública (foto: Agência CNJ)

 

Cooperação

A ideia de que cooperação e integração são primordiais para a Inteligência esteve em destaque durante o evento. “Quanto maior o volume de dados, maior a informação recebida, melhor o conhecimento aplicado e mais fácil para se discutir políticas públicas eficazes”, destacou o diretor-geral durante o painel.

Na opinião do ministro da Justiça e Segurança Pública, a falta de integração entre os entes da Federação desafia o trabalho no país. “Dificulta a falta de ação coordenada. A solução para o problema da segurança pública passa pelos três poderes”, comentou Moro.

Já o ministro Alexandre de Moraes reforçou a necessidade de integração no que tange à Inteligência. “A Inteligência precisa de duas coisas: informação e cooperação. O Judiciário pode ajudar muito nesses dois itens, pois a Justiça inicia e conclui os processos criminais”, afirmou.

 

Diretor-geral esteve com representantes do Judiciário (foto: Agência CNJ)

 

facebookgoogle_plusmail