Agência Brasileira de

Abin
Intelligence Activity
Publicado em: 30/08/2018 às 11:59hs. || Atualizado em: 29/11/2018 às 17:57hs.

Ministros conduzem Aula Magna da pós-graduação da ABIN

Sergio Etchegoyen (GSI), Joaquim Silva e Luna (Defesa) e Raul Jungmann (Segurança
Pública), além de embaixador do MRE, apresentaram suas visões sobre a Inteligência

 

 

A Aula Magna do “Curso de Gestão Integrada de Inteligência” (CGII), primeira pós-graduação oferecida pela ABIN na história, contou com a participação dos ministros do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Sergio Etchegoyen; da Defesa, Joaquim Silva e Luna; e da Segurança Pública, Raul Jungmann; além do embaixador Alessandro Candeas – que representou o Ministério das Relações Exteriores (MRE).

A aula inaugural foi ministrada pelas quatro autoridades em Brasília/DF, na sede da Agência, nesta quarta-feira – 29 de agosto.

 

A integração dos quatro ministérios para organizar a pós-graduação foi destacada pelo GSI

A especialização lato sensu capacitará integrantes da ABIN e de órgãos parceiros do Sistema Brasileiro de Inteligência (SISBIN) em temas que requerem decisão e gestão integrada de Inteligência. Os alunos terão aulas, por exemplo, sobre gerenciamento colegiado de crises e atividades de Inteligência de Estado. A carga-horária é de 381 horas-aula e o curso vai até outubro de 2019.

Para o diretor da Escola de Inteligência (Esint) – unidade da ABIN responsável pela pós-graduação –, Luiz Alberto Santos Sallaberry, o ineditismo da presença dos ministros na aula magna reforçou a relevância da especialização.

 

Alessandro Candeas citou a expansão internacional da ABIN e da Inteligência brasileira

 

MRE e Defesa

Responsável em ministrar a primeira parte da aula, o embaixador Alessandro Candeas destacou a importância do trabalho conjunto da Inteligência para o Brasil e citou o diálogo como ponto forte para vencer os desafios. “O Itamaraty vê com alegria a expansão internacional da ABIN e da Inteligência brasileira”, disse, ao citar as adidâncias da Agência distribuídas pelos cinco continentes.

Já o ministro Joaquim Silva e Luna abordou a importância da pós-graduação para a pasta da Defesa. Também definiu quais seriam os principais desafios atuais da Inteligência: integração, análise de grande volume de dados, proteção do conhecimento, capacitação, integração e divisão do conhecimento.

 

O ministro Joaquim Silva e Luna falou sob a ótica da Defesa

 

Segurança

Raul Jungmann apresentou painel sobre a segurança pública no Brasil, abrangendo o papel da Inteligência na arquitetura da área. O ministro falou da gravidade da situação atual. Listou estatísticas, problemas políticos e a atuação do crime organizado. “É no âmbito da Inteligência que se poderá vencer a batalha contra o crime organizado, e este curso contribuirá para isso”, declarou.

O ministro do GSI, Sergio Etchegoyen, concluiu a Aula Magna ressaltando a integração dos quatro ministérios para organizar a pós-graduação e fortalecer o debate sobre a Inteligência. Para ele, o crime organizado é um dos maiores desafios para a Inteligência de Estado e se assemelharia ao risco de terrorismo em outras nações. “Uma analogia que permite que busquemos melhores práticas e trazê-las para nossa realidade”.

 

Jungmann lembrou o papel da Inteligência na arquitetura da Segurança Pública

 

Academia

O diretor-geral da ABIN, Janér Tesch, pontuou que o curso é um campo fértil para que os alunos percebam o amanhã. Janér lembrou que ações conjuntas aproximam as melhores práticas, seja no Brasil ou no exterior. “Ao adotarmos a academia como ponto focal, colheremos os frutos no futuro”, afirmou.

 

facebookgoogle_plusmail