Agência Brasileira de

Abin

Avaliações de Risco | Rio 2016

 

No período dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos foram produzidos 200 documentos de Inteligência. A maioria, sínteses de Inteligência – documentos com conteúdo tático, voltados a questões de logística e segurança das arenas e das delegações –, e o restante, Relatórios de Inteligência – que contiveram análises de caráter estratégico, para fundamentar decisões políticas.

A ABIN produziu, ainda, relatórios de Avaliações de Risco e atualizou continuamente ao longo do evento informações sobre todas as arenas de competição, a Vila dos Atletas e os centros de mídia. No total, foram 43 avaliações produzidas, 12 apenas no período das Paralimpíadas. O trabalho envolveu cerca de 40 servidores antes e durante as competições. A Agência também produziu Avaliações de Risco da Vila Olímpica – local de hospedagem das delegações no Rio de Janeiro/RJ – e dos centros de mídia escrita e de transmissões dos jogos (MPC e IBC).

 

Locais de competição, como a Marina da Glória, também tiveram riscos avaliados

 

 

Riscos foram analisados detalhadamente

ITENS AVALIADOS


Cada estrutura e instalação será avaliada pelos profissionais da ABIN em, pelo menos, dois ciclos de identificação de vulnerabilidades e ameaças.

Os relatórios apresentarão o cenário de risco para as instalações, contendo as vulnerabilidades identificadas e as recomendações de medidas corretivas.

 

 

HOTÉIS E AMEAÇAS


Outros relatórios produzidos pela ABIN foram os de Sensibilidade Hoteleira e de Fontes de Ameaça. Os relatórios da Sensibilidade Hoteleira resultaram da avaliação de risco da estrutura hoteleira no Rio de Janeiro onde se hospedaram integrantes do Comitê Olímpico, autoridades e chefes de Estado em sua permanência no Brasil.

Os relatórios de Fontes de Ameaça apresentaram síntese da avaliação da ABIN sobre a natureza e gravidade das ameaças que incidiriam sobre o evento e a segurança das delegações e do público espectador.

 

 

facebookgoogle_plusmail