Agência Brasileira de

Abin

Diretor-geral

 

Alexandre Ramagem Rodrigues é graduado em Direito pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). Ingressou no Departamento de Polícia Federal (DPF) em 2005 e atualmente é Delegado de Classe Especial.

 

Alexandre Ramagem, diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência

 

CARREIRA DELEGADO


Sua primeira lotação foi na Superintendência Regional do DPF no Estado de Roraima. Em 2007, foi nomeado delegado regional de Combate ao Crime Organizado. Em 2011, foi transferido para a sede do DPF em Brasília/DF com a missão de criar e chefiar Unidade de Repressão a Crimes contra a Pessoa. Em 2013, assumiu a chefia da Divisão de Administração de Recursos Humanos. A partir de 2016, foi responsável pela Divisão de Estudos, Legislações e Pareceres da Polícia Federal.

Em 2017, tendo em conta a evolução dos trabalhos da operação Lava-Jato no Rio de Janeiro, foi convidado a integrar a equipe de policiais federais responsável pela investigação e Inteligência de polícia judiciária no âmbito dessa operação. A partir das atividades desenvolvidas, passou a coordenar o trabalho do DPF junto ao Tribunal Regional Federal da 2ª Regional, com sede no Rio de Janeiro.

Em 2018, assumiu a Coordenação de Recursos Humanos da Polícia Federal na condição de substituto do Diretor de Gestão de Pessoal do DPF. Em razão de seus conhecimentos operacionais nas áreas de segurança e Inteligência, assumiu, ainda em 2018, a Coordenação de Segurança do então candidato e atual presidente dá República, Jair Bolsonaro.

 

GOVERNO FEDERAL


Em fevereiro de 2019, o delegado Alexandre Ramagem foi nomeado Superintendente Regional do DPF no Ceará, mas acabou por assumir o cargo de assessor especial da Secretaria de Governo da Presidência da República, na função de auxiliar direto do então ministro de Estado Carlos Alberto Santos Cruz.

Assumiu a Direção Geral da Agência Brasileira de Inteligência (ABIN) em julho de 2019.

 

ACADÊMICO


Além das qualificações descritas, o delegado atua, desde 2012, como professor da Academia Nacional de Polícia ministrando as seguintes disciplinas: Repressão a Homicídios e Grupos de Extermínio; Gestão de Pessoas; e Aperfeiçoamento em Planejamento e Gestão de Operações Policiais.

 

GRANDES EVENTOS


Possui experiência na coordenação de Grandes Eventos no Brasil: Conferência das Nações Unidas Rio +20 (2012); Copa das Confederações (2013); Copa do Mundo (2014); e Jogos Olímpicos (2016).

 

facebookgoogle_plusmail