Agência Brasileira de

Abin
Publicado em: 13/03/2017 às 18:40hs. || Atualizado em: 13/03/2017 às 18:42hs.

Presidente recebe propostas do SISBIN para a área de segurança

Temer conheceu proposta conjunta do GSI, Defesa e
Justiça para aperfeiçoar combate ao crime organizado

 

 

Presidente, ministros e demais membros do SISBIN (foto: Antônio Cruz/Ag. Brasil)

O presidente da República, Michel Temer, recebeu propostas de ações de prevenção e combate ao crime organizado em reunião realizada na manhã desta segunda-feira – 13 de março – com integrantes do SISBIN, no Palácio do Planalto. A ABIN liderou a apresentação das iniciativas.

A Agência consolidou proposta conjunta feita em parceria com o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) e os Ministérios da Defesa (MD) e da Justiça e Segurança Pública (MJSP).

A estruturação de medidas contra criminalidade fora solicitada ao Sistema Brasileiro de Inteligência pelo próprio presidente, em reunião realizada no mês passado.

 

Medidas de prevenção e combate ao crime organizado foram apresentadas (foto: Valdenio Vieira/PR)

 

Temer relembrou que pediu ações que “poderíamos fazer nas estruturas governamentais para melhorar a segurança pública” e afirmou que “as reuniões [com os membros do SISBIN] foram muito úteis até agora. Devemos continuar fazendo este debate periodicamente para nos atualizarmos”.

O diretor-geral da ABIN, Janér Tesch, e o diretor-adjunto, Frank Márcio de Oliveira, participaram da reunião no Planalto – ainda houve a presença de oficiais de Inteligência dos Departamentos de Inteligência Estratégica (DIE) e de Contraterrorismo e Ilícitos Transnacionais (DCIT), responsáveis pela apresentação das propostas da Agência ao presidente.

Os ministros Sergio Etchegoyen (GSI), Osmar Serraglio (MJSP), Raul Jungmann (MD) e Eliseu Padilha (Casa Civil) também acompanharam o encontro.

 

SISBIN apresentou medidas em três eixos principais (foto: Valdenio Vieira/PR)

 

Propostas

O objetivo das propostas é aprimorar a capacidade estatal de controle das ações das organizações criminosas no Brasil. As medidas estão organizadas em três eixos: fortalecimento da atividade de Inteligência; aperfeiçoamento das estruturas governamentais; e fortalecimento do combate ao crime organizado e ilícitos transnacionais.

“Nós nos reunimos [GSI, MD e MJSP] algumas vezes ao longo dos últimos dez dias para integrar as ações que julgamos sejam adequadas para melhorar o combate ao crime organizado”, disse o ministro Sergio Etchegoyen, ao explicar o processo de formatação da proposta conjunta levada a Temer.

Os detalhes ainda não foram divulgados. De imediato, o Governo federal adiantou que quer melhorar a gestão das ações de segurança pública por meio do aumento da cooperação internacional, da estruturação de bancos de dados nacionais, do aumento da cooperação e integração na Inteligência nacional e do aperfeiçoamento da legislação de execução penal.

 

Temer reforçou interesse em consolidar a integração das estruturas do Governo Federal (foto: V. Vieira/PR)

 

Integração

Ao voltar a destacar a importância da integração, o presidente da República afirmou que “as agências [ligadas à produção de conhecimentos] são todas do Poder Executivo. A interação entre elas não precisa de ato normativo, mas vamos publicar um Decreto consolidando e regulamentando sua atuação integrada”.

 

 

 

facebookgoogle_plusmail